Voltar ao Topo da Página
Um Blog focado em sustentabilidade e inovação
#vidavivablog
Foto - Para seu cão ser feliz dentro do apartamento

Para seu cão ser feliz dentro do apartamento

Ícone - Calendário 21/03/2018    Ícone - Comentários Nenhum comentário

Para seu cão ser feliz dentro do apartamento

Por privar os animais de um contato maior com a natureza, com pessoas e outros animais do mundo externo, criar pets em apartamentos é um assunto polêmico, que merece atenção.  Mas ao observar algumas simples providências, é possível conviver com animais felizes e saudáveis entre as paredes dos edifícios.

O cão é um animal social. Não é da natureza dele ficar sozinho por longos períodos. Muitas cidades, hoje em dia, já oferecem o serviço de creche (daycare) para cães.  Porém, quem reside em uma local que não oferece esse tipo de serviço, ou que possui limitações financeiras que impeçam contratar quem possa cuidar do cão durante longas ausências, deve pensar muito bem antes de decidir ter um cãozinho de estimação.

Andreia Celso é bióloga com especialização em biopatologia, fauna, flora e gestão ambiental. Uma de suas paixões é criar cachorros. Por sua experiência e conhecimento, ela indica buldogue, pug, lulu da pomerânia, shih tzu , lhasa apso,  yorkshire , maltes como raças adequadas para criar em apartamento. Mas na opinião dela, nada melhor que a adoção de um pequeno SRD (sem raça definida - vira latas). “Ele ficará agradecido pelo resto de sua existência e não haverá amor melhor que este, sem dúvida”, comemora.

Passeios diários diminuem o estresse

É possível criar raças um pouco maiores do que as citadas, desde que haja uma delimitação (grade, muro, cerdas). Mas isso não exclui a necessidade de levar o cão para passeios diários, atitude de extrema importância para a saúde dele. “Passeios diários diminuem o estresse do confinamento, possibilitam contato, socialização com pessoas e animais, e proporcionam aqueles momentos únicos de lazer entre o cão e seu dono”, justifica Andreia.

O passeio deve ser prazeroso. Permitir que o cão explore o ambiente, corra e exercite seus sentidos vai deixá-lo muito feliz. Em ambientes urbanos, a liberdade excessiva pode ser perigosa. Por isso, recomenda-se usar uma coleira adequada ao tamanho do pet, em ajuste e comprimento.  Outra dica muito importante é evitar os horários de muito sol.  O recomendável é até as 10 da manhã e após as 16 horas. A distância da caminhada também é importante para a saúde e depende muito de cada animal. Cachorros ativos precisam de caminhadas mais longas, em que gastem energia, enquanto que para os idosos e sedentários é recomendável um percurso mais enxuto.

Os cães costumam aproveitar a caminhada para fazer suas necessidades. Nesse caso, os saquinhos plásticos para recolher as fezes e jogar no lixo mais próximo devem fazer parte do equipamento de passeio.

Se o bicho de estimação se movimenta e faz passeios regularmente e, mesmo assim, continuar latindo muito, qualquer que seja sua raça, ele pode não suportar ficar sozinho, o que causa sofrimento ao animal e transtornos ao condomínio. O recomendável é levá-lo ao veterinário, que irá avaliar se há um problema físico ou psicológico e, se for o caso, indicar um adestramento profissional.

Alimentação equlibrada evita sobrepeso

A alimentação é o primeiro passo para criar um animal saudável. Feita de forma equilibrada, para cada fase da vida, favorece o crescimento, evita o sobrepeso e influencia positivamente em aspectos físicos, com pelos e dentes.

A água deve ser fornecida à vontade. Em casos de ausência mais prolongada dos donos do animal, recomenda-se reforçar a quantidade de água à disposição. Como os seres humanos, os cães necessitam de água em abundância.

O banho é fundamental, afinal cuidando da higiene deles estaremos zelando pela nossa saúde também. A frequência de banho varia de acordo com a necessidade de cada raça.

Andreia Celso reforça suas recomendações ao observar que a vacinação também é muito importante: “Doenças graves podem ser facilmente evitadas com um programa de vacinação adequado, acompanhado pelo veterinário”. Assim como a gripe para os humanos, as doenças virais de cães são facilmente transmitidas pelo ar ou por objetos contaminados. Dessa forma, mesmo que o pet não saia de casa, ele deve ser vacinado. Existem algumas doenças, como raiva e leptospirose, que são zoonoses, ou seja, podem ser transmitidas aos humanos. Por isso, a vacinação é imprescindível para proteger também a família.

Ainda com relação à saúde dos cães de estimação, os parasitas intestinais são uma ameaça constante, oferecem grandes riscos não somente à saúde deles, mas também à da família. Os filhotes podem adquirir verminoses no útero da mãe, ou mesmo através do leite, durante a amamentação. Por isso, a vermifugação (combater e proteger contra vermes) precisa começar desde cedo. Outra forma de os cães adquirirem verminose é através do solo ou de objetos contaminados. Enquanto passeiam, cheiram o ambiente, lambem as patas e assim acabam ingerindo os ovos ou as larvas de vermes. Estes também podem ser trazidos para dentro de casa pelos sapatos. Por tudo isso, é importante manter a vermifugação em dia.

Parasitas externos são um incômodo constante para os cães. Pulgas, carrapatos, moscas e mosquitos causam muita coceira e podem transmitir sérias doenças. Para evitar a presença de parasitas, é importante tratar os bichos de estimação periodicamente com produtos especialmente fabricados para esse fim, à venda em casas especializadas.

De forma a compensar o fato de o cão ter de viver em um ambiente fechado, muito amor e os cuidados aqui descritos ajudarão você e sua família a ter uma convivência saudável e harmônica com seu cão de estimação.

GALERIA DE FOTOS

Sem fotos na galeria no momento.

COMENTÁRIOS

Carregando...

Nenhum comentário foi feito ainda. Seja o primeiro!

TAMBÉM EM VIDAVIVA

Saiba como aproveitar melhor sua varanda

Nenhum comentário | 17/09/2019

Condensação: lembre-se dela nesse inverno

Nenhum comentário | 09/07/2019